Loading...
Skip to content

Notícias

02/03/2017

Instalação do sistema do Inquérito Policial Eletrônico nas unidades policiais da Delegacia Seccional de Sorocaba

Quinta-feira, 02 de março de 2017 (12:30)


Seccional de Sorocaba passa a atuar com Inquérito Policial Digital
As delegacias da Seccional de Sorocaba da Polícia Civil agora têm sistema eletrônico para a realização de inquéritos policiais e seu encaminhamento ao Fórum. Trata-se do sistema Sage, o mesmo utilizado pelo Judiciário.
Está instalado em todas as 38 delegacias das 18 cidades sob jurisdição da seccional. “Até então, atuávamos com o inquérito físico, que tinha de ser impresso e expedido para o Judiciário, por meio de deslocamento de viatura e pessoal. Agora, os novos inquéritos são registrados por meio eletrônico e encaminhados via sistema para o Fórum. Com isso, os procedimentos ganharam celeridade, e, consequentemente, o trabalho como um todo”, destaca o delegado seccional de Sorocaba, Marcelo Carriel.
Rapidez e economia – A seccional de Sorocaba da Polícia Civil é a segunda do Estado a receber o Inquérito Policial Digital (IPD), que está em funcionamento na Seccional de Santos desde agosto do ano passado e foi testado, pioneiramente, em uma Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da capital. Com ele, os casos de flagrantes, solicitações de medidas protetivas da Lei Maria da Penha e cautelares, como os pedidos de prisão preventiva e de intercepção telefônica, entre outros, são encaminhados de imediato para avaliação do juiz, o que possibilita que as decisões sejam tomadas e despachadas rapidamente. “Por exemplo, a primeira Medida Protetiva da Lei Maria da Penha solicitada por meio do IPD em uma delegacia de Sorocaba foi expedida pelo juiz em apenas três horas. Antes, eram necessários de dois a três dias”, relata o delegado. “Essa é uma forma de realmente assegurar a medida de proteção, assim como o cumprimento ágil de uma prisão preventiva”, acrescenta. A vantagem, segundo Carriel, também é econômica. Para a instalação do sistema eletrônico em todo o Estado é projetado o investimento governamental de cerca de R$ 5 milhões, enquanto a redução de custo com a eliminação do papel é estimada em R$ 7 milhões ao ano. “Se forem adicionados os custos com impressão e equipamentos no uso do papel, essa economia sobe para cerca de R$ 10 milhões ao ano”, avalia. O delegado informa ainda que os 600 funcionários da seccional foram capacitados para a utilização do sistema, adotado desde o dia 16. No entanto, ele ressalta que os quase 5 mil inquéritos do acervo instaurados fisicamente continuam a correr dessa forma.
Simone de Marco
Imprensa Oficial – Conteúdo Editorial


      Fonte e foto: Diário oficial do Estado de São Paulo - mpv(c)

footerNoticia.png


    AnteriorPróxima

    Voltar