Loading...
Skip to content

Notícias

22/03/2021

Polícia Civil inaugura DDM de Arujá

Segunda-feira, 22 de março de 2021 (18h20)

Novo espaço proporciona melhor atendimento e acolhimento às vítimas

A Polícia Civil de São Paulo inaugurou, nesta  segunda-feira (22), a 138ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) do Estado, com sede em Arujá (Demacro). A medida proporciona melhor atendimento e acolhimento a mulheres, crianças e adolescentes vítimas de violência.

O Governo investiu R$15 mil na compra de tintas e outros materiais para pintura, além da placa de inauguração. Já a Prefeitura ficou responsável pela mão de obra, sendo que os serviços foram realizados entre os dias 26 de fevereiro e 7 de março.

A nova DDM possui um convênio firmado com a Prefeitura para prestação de serviço de assistência social e psicológica, com um profissional de cada área. Além disto, haverá uma sala da OAB, onde atuarão três estagiários do curso de Direito.

“Essa é a 138ª DDM do Estado. Este Governo está efetivamente materializando a proteção das mulheres em todo Estado. Este é um equipamento conjunto de várias forças tarefas mostrando que juntos somos mais fortes”, ressaltou o secretário da Segurança Pública, general João Camilo Pires de Campos.

O sobrado que vai sediar a unidade é composto, no térreo, por uma sala de atendimento especializado, uma sala da OAB/SP, uma sala Lilás, uma sala de assistência social, uma sala de atendimento (acessibilidade), um banheiro (acessibilidade), um banheiro feminino com fraldário e um masculino.

Já no primeiro andar há quatro salas, uma de espera com brinquedoteca, uma de investigação, uma de cartório e uma da autoridade policial, além de uma copa e dois banheiros para funcionários.

“Nós estamos em um momento em que a saúde é prioridade, mas a proteção da mulher também. As DDMs proporcionam mais segurança, atendimento acolhedor e esperança de que essas mulheres vítimas vão romper o ciclo de violência”, afirmou a delegada Jamila Jorge Ferrari, coordenadora das DDMs.

Sobre a nova DDM

A unidade especializada, criada por meio de decreto em março do ano passado, conta com cinco policiais, sendo dois investigadores e dois escrivães, sob coordenação da delegada titular Vanessa Torres de Azevedo Chagas. A equipe atuará beneficiando cerca de 90 mil habitantes.

Combate à violência contra a mulher

São Paulo é pioneiro na criação e aplicação de políticas de combate à violência contra a mulher. Das 138 DDMs já em funcionamento, dez atendem 24 horas e todas as demais delegacias paulistas seguem o Protocolo Único de Atendimento em casos de violência contra a mulher, com procedimentos que visam melhor acolher as vítimas.

Além disto, desde abril do ano passado as vítimas desse tipo de crime podem registrar ocorrências eletronicamente, por meio de um computador, tablet ou celular; e desde agosto do mesmo ano o atendimento nestas especializadas passou a ser exclusivo para ocorrências de violência doméstica ou familiar e infrações contra a dignidade sexual levando em conta a identidade de gênero e não apenas o sexo biológico.

Fonte/foto: Site da SSP, com adaptações - ocn (s)

NOVO_RODAPÉ.png