Loading...
Skip to content

Notícias

31/08/2017

Polícia Civil participa da campanha contra abuso sexual

Quarta-feira, 30 de agosto de 2017 (16:00)

TJSP e 15 instituições lançam campanha contra abuso sexual nos transportes - Objetivo é incentivar vítimas a denunciarem ocorrências.
 
“Abuso sexual não tem desculpa, tem lei.” “Não existe mão-boba. Existe falta de caráter.” “Omissão também é violência.” As frases fazem parte das peças publicitárias da campanha “Juntos Podemos Parar o Abuso Sexual nos Transportes”: as frases fazem parte das peças publicitárias da campanha “Juntos Podemos Parar o Abuso Sexual nos Transportes”, lançada na terça-feira (29/8) pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, em parceria com 15 instituições públicas e privadas.

DELEGADO-GERAL DE POLÍCIA DE SP YOUSSEF ABOU CHAHIN.O Delegado Geral de Polícia, Youssef Abou Chahin, também participou do evento, além de outras autoridades presentes.

O objetivo é uma mudança cultural que estimule vítimas de abuso sexual nos transportes e pessoas que presenciam algum incidente a denunciarem os agressores, e consequentemente, inibir futuras iniciativas.

Além da veiculação de cartazes, vídeos e postagens nas redes sociais das instituições participantes, a campanha também promoveu seminários de sensibilização direcionados a mais de mil funcionários das empresas de transporte a fim de prepará-los para o atendimento às vítimas.

Lançamento

No evento de lançamento da campanha, que aconteceu no Salão do Júri do Palácio da Justiça, sede do TJSP, representantes de todas as instituições envolvidas assinaram convênio de cooperação para viabilizar a elaboração e divulgação da campanha “Juntos Podemos Parar o Abuso Sexual nos Transportes”.

O presidente do TJSP, desembargador Paulo Dimas, parabenizou todos os envolvidos no trabalho, especialmente a juíza Tatiane Moreira Lima, da Vara da Violência Doméstica e Familiar do Foro Regional do Butantã, e idealizadora da campanha. “É uma magistrada que realiza um bonito trabalho no combate à violência doméstica e, agora, também atuará na proteção das mulheres que sofrem constrangimento nos transportes”, ressaltou.

Paulo Dimas também afirmou que o Poder Judiciário cumpre sua função social ao promover atividades com temas relevantes para a sociedade. “Sabemos que a paz social não se resolve apenas com sentenças. E o TJSP tem realizado campanhas sobre diversos assuntos, assim como a que lançamos hoje, que tem como objetivo a prevenção, além de incentivar as vítimas a romperem o silêncio. Nós, do Poder Judiciário, e mais 15 instituições queremos dizer às mulheres que elas não estão sozinhas e podem contar conosco.”

Atividades

Iniciativa da juíza do TJSP Tatiane Moreira Lima, a campanha só se tornou possível graças à adesão do Governo de São Paulo, Prefeitura de São Paulo, Ministério Público de São Paulo, CPTM, Metrô, EMTU, SPTrans, Ordem dos Advogados do Brasil – Seção São Paulo, Polícia Militar, Polícia Civil, ViaQuatro, EFCJ (trem), Secretaria de Segurança Pública, Secretaria dos Transportes Metropolitanos, Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes de São Paulo.

Qualquer ato de cunho sexual que não tenha a concordância da outra pessoa é considerado abuso. É um dos crimes mais subnotificados e, de acordo com pesquisas, o transporte público é o principal local de ocorrências dessa natureza.

A campanha lançada hoje conta com sete modelos de cartazes, além de vídeos e postagens nas redes de todos os órgãos participantes. 
 

Fonte e foto: Site do TJSP, com adaptações - lm (i)

footerNoticia.png