Loading...
Skip to content

RECOMENDAÇÃO DGP nº 02, de 17 de fevereiro de 2011.

O Delegado Geral de Polícia,

CONSIDERANDO que todos têm o direito de se expressar da forma que melhor lhes convier, mas os servidores públicos devem garantir que os destinatários do serviço prestado compreendam-no de maneira fácil, rápida e completa, sem precisar valer-se de dicionários e compêndios,

CONSIDERANDO que as peças confeccionadas pelos Delegados de Polícia, tais como o histórico do boletim de ocorrência, declarações, assentadas, interrogatórios etc., retratam fatos narrados por vítimas/partes, testemunhas, autores e interrogados, os quais são seus signatários, após leitura,


RECOMENDA:

As Autoridades Policiais e demais policiais deverão se abster de utilizar, nas peças que elaborarem, sempre que possível, estrangeirismos, mesmo em latim, gongorismos e palavras rebuscadas de modo geral, que dificultem o pronto entendimento dos textos ou a retratação das circunstâncias noticiadas.


São Paulo, 17 de fevereiro de 2011.

MARCOS CARNEIRO LIMA
Delegado Geral de Polícia